Banner

Caixa Econômica Federal: Integração de casas lotéricas em todo o Brasil

Pergunte agora

visão global

Desafio

Reduzir o custo da operação das loterias, permitindo aumentar o investimento em programas sociais.

Solução

A Comsat, adquirida pela BT em 2007, provê a rede de transmissão de dados das casas lotéricas para o Centro de Processamento de Dados da CAIXA em Brasília.

Valor

Com a rede da BT, a CAIXA reduziu custos e passou a contar com uma infraestrutura confiável, capaz de garantir a transparência das loterias.

Cliente

Com quase 38 milhões de clientes no Brasil, a Caixa Econômica Federal, conhecida localmente como CAIXA, é o maior banco público da América Latina. Além de oferecer serviços bancários acessíveis à população, estende sua atuação a outras áreas ligadas a programas estatais, desde o investimento em infraestrutura urbana até a administração e pagamento de benefícios sociais.

Responde também pela operação das loterias federais, que desempenham um papel social importante no Brasil. Em 2008 repassou mais da metade de sua arrecadação, de 5,7 bilhões de reais, a beneficiários definidos em lei - como ministérios e organizações não-governamentais, para investimentos em áreas prioritárias, como segurança, cultura e educação.

Desafio

Em 2004, o Conselho Diretor da CAIXA aprovou um novo modelo operacional para suas loterias, decidindo centralizar o gerenciamento de todos os processos envolvidos.

De acordo com Antônio Carlos Barasuol, Gerente Nacional dos Canais Físicos da CAIXA, “o objetivo era reduzir o custo operacional das loterias, permitindo maiores investimentos em programas sociais”.

No novo modelo, a CAIXA detém o controle de todo o processo - assegurando confiabilidade, segurança e transparência ao sistema de loterias - e conta com a colaboração de quatro fornecedores de serviços, responsáveis pelo leasing e manutenção dos terminais lotéricos; pela produção de bobinas e volantes; pelo armazenamento e distribuição desses volantes e pelas conexões de rede para as casas lotéricas.

A Comsat, adquirida pela BT em 2007, venceu a licitação para o fornecimento da rede de transmissão de dados das Unidades Lotéricas para os centros de processamento de dados da CAIXA em Brasília, firmando contrato com duração de cinco anos e valor de R$ 283 milhões, através de sua subsidiária Vicom.

Solução

A rede necessitava conectar mais de 25.000 terminais instalados em mais de 9.000 casas lotéricas em todo o Brasil, algumas em localidades bastante remotas. A opção foi por uma rede híbrida, que utiliza comunicação por satélite, além de conexões ADSL e enlaces de rádio. Toda esta rede se liga aos dois teleportos da BT - em Hortolândia, São Paulo, e na cidade do Rio de Janeiro - de onde as informações trafegam para os centros de processamento de dados da Caixa Econômica Federal, em Brasília.

Para maior disponibilidade, a rede é totalmente redundante, com opções de rotas alternativas no caso de uma falha de conexão. Isso se aplica mesmo às mais distantes localidades do Brasil, onde as casas lotéricas são muitas vezes o único ponto onde a população pode efetuar transações bancárias simples, como pagamento de contas, depósitos e retirada de dinheiro.

Cumprindo requisitos de segurança muito altos - que tornam virtualmente impossível sua invasão - a rede tem todos os dados que trafegam por ela criptografados, e conta com mecanismos como firewalls, IDS, antivírus e log de todas as transações. Os requisitos de segurança físicos também são um ponto crítico no projeto.

A rede de loterias da CAIXA é uma rede de porte único, seja por seu alcance geográfico, pelo número de pontos que interliga, pelas exigências de disponibilidade e de segurança do sistema de apostas, ou pelo volume de transações. As responsabilidades da BT se estendem do projeto da rede até sua implementação e integração, além de incluir a operação e gerenciamento on-line da rede.

Um dos grandes desafios na implementação da rede foram os prazos: a rede foi implantada em fases, completando-se em menos de um ano toda a instalação.

De acordo com Antônio Carlos Barasuol Gerente Nacional dos Canais Físicos da CAIXA, "o projeto, muito complexo, foi implantado em tempo recorde”.

Outra característica desse projeto é sua constante atualização. Em um segundo momento, iniciou-se a implementação, nas casas lotéricas, de um novo sistema de backup de sua conexão com os teleportos, utilizando comunicação sem fio (GPRS - General Package Radio Service) para substituir conexões discadas. Para esse serviço, a BT conta com a parceria de uma operadora de telefonia celular.

Os sorteios das loterias da CAIXA são diários, realizados de segunda a sábado. Os “Caminhões da Sorte” viajam por todo o Brasil e, a rigor, são também casas lotéricas, capazes de registrar apostas em tempo real e operadas em cada localidade por uma lotérica autorizada.

Os caminhões atraem grandes audiências para assistir aos sorteios. Num upgrade à solução inicialmente fornecida pela BT, cada caminhão foi equipado com um sistema de gravação e transmissão de vídeo para transmissão ao vivo dos sorteios para a sede da CAIXA, em Brasília. São seis microcâmeras - instaladas em cada um dos globos onde giram as bolinhas a serem sorteadas - e mais quatro câmeras que filmam panoramicamente todo o acontecimento, do sorteio no caminhão às reações do público.

A BT forneceu todos os equipamentos necessários, que vão das câmeras aos encoders, armazenamento de dados e transmissão via satélite, além de conectividade em banda larga a partir dos caminhões.

Paulo Campos, Superintendente Nacional das Loterias da CAIXA, comenta que “a transmissão ao vivo dos sorteios, diretamente de nosso caminhão, demonstra a segurança de nosso sistema - e um ponto importante na missão desses caminhões é exatamente reforçar a credibilidade das loterias federais”.

Mais recentemente, o contrato inicial foi estendido para incluir a conexão de outras 2.100 novas Unidades Lotéricas que estão em processo de licitação. Assim o número terminais lotéricos conectados passará para cerca de 31.000.

Valor

A rede fornecida pela BT ajudou a CAIXA a oferecer uma infraestrutura de apostas mais confiável e permitiu maior transparência. Os benefícios financeiros do novo modelo operacional, de custos fixos, se revelaram rapidamente.

Segundo Antônio Carlos Barasuol Gerente Nacional dos Canais Físicos da CAIXA, “seis meses depois da implementação, a CAIXA já podia exibir uma economia da ordem de 15% com as despesas de operação das loterias, prestando um serviço de melhor qualidade e maior capacidade de processamento".

Em 2007, o sistema de loterias da CAIXA registrou 3,8 bilhões de transações. A rede desempenha também um importante papel social, particularmente em áreas remotas. Cerca de um terço das transações realizadas não estão relacionados com apostas, mas com serviços financeiros básicos oferecidos nas casas lotéricas.

A disponibilidade da rede tem permanecido acima de 99,9%, mesmo no caso de grande movimento de apostas, como no dia de sorteios de quantias acumuladas, quando a rede opera com um volume que chega a mais de mil transações efetuadas por segundo. São estes picos que representam, para a CAIXA, as maiores arrecadações com loterias: em um só dia, o dia 10 de junho de 2007, quando foi sorteado o segundo maior prêmio acumulado da Mega Sena, a arrecadação foi superior a R$ 62 milhões e o total de transações realizadas naquele dia superou a marca de 23 milhões.

Principais serviços oferecidos pela BT

  • Serviços de telecomunicações incluindo ADSL, satélite, GPRS e enlaces de rádio pré-WiMax.
  • Serviços profissionais de integração de sistemas

recursos

Case study