Nosso blog

Filmes e programas ganham mais vida nas novas TVs

k

20 Abril 2017

Global Services

Posts by authors: Global Services, We’re a leading global business communications provider

LinkedInTwitterYouTubeSlideshare

Novas tecnologias de transmissão e de produção de conteúdo oferecem imagens em altíssima definição nas TVs.

Acompanhando todos os avanços tecnológicos, os aparelhos de televisão também estão a cada dia mais sofisticados, com mais funcionalidades e melhor qualidade de imagem. Aparelhos com 3D e Smart TVs, repletas de aplicações, já não são novidade e agora os fabricantes investem em tecnologias que oferecem imagens bidimensionais de altíssima qualidade.

Hoje, praticamente todas as TVs no mercado têm, pelo menos, tecnologia HD, com resolução de pixel de 1920 x 1080, e as 4k, com resolução de 3840 x 2160, já se tornam comuns.

Em 2014, durante a Copa do Mundo no Brasil, Marcos Mandarano, então Product Manager da área de Media & Broadcast, comentava sobre as transmissões em 4K e tem 8K. Alguns jogos foram transmitidos em 4k e 8k, servindo como teste para avaliar a infraestrutura de telecomunicações necessária a essas transmissões. Ele ressaltava, na época, que era preciso pensar em três grandes pontas de investimento: infraestrutura de rede para a transmissão, equipamentos (câmeras, televisores, set up boxes) e conteúdo.

E destacava a necessidade de oferta de uma nova infraestrutura para suportar as então novas tecnologias.

Agora, grandes fabricantes já oferecem aparelhos com tecnologia 8k, mas os altos preços das TVs e a pouca oferta de conteúdo com essa resolução – 7680 x 4320 pixels – atrapalham a sua adoção. O Japão espera colocar o sinal 8k no ar em 2020, quando acontecem as Olimpíadas de Tóquio.

A chegada da High Dynamic Range

Enquanto isso, uma nova tecnologia – a High Dynamic Range (HDR) – começa a chamar atenção. Sigla para Grande Alcance Dinâmico, em inglês, a tecnologia permite uma maior diferenciação entre áreas claras e escuras de uma imagem, oferecendo mais detalhamento gráfico, melhor textura e cores mais vibrantes, e é usada principalmente no desenvolvimento de games.

Para se ter uma ideia da sua aplicação, enquanto a tecnologia 4k influi na resolução da imagem, a HDR mexe com o contraste e as cores dessa imagem. A oferta de conteúdo em HDR é ainda menor do que a oferta em 4k, mas já está no radar dos fabricantes de aparelhos de TV e de equipamentos de filmagem e de transmissão.

OLED ou QLED?

E a “sopa de letrinhas” quando se fala em televisão não para por aí. Também temos as telas com tecnologia OLED (Organic Light Emiting Diodes) e QLED (Quantum Dot LED).

As TVs com telas em OLED, que ainda têm um custo bem alto, consomem menos energia – mas têm tempo de vida útil reduzido – oferecem melhor brilho e contraste e reproduzem cores mais naturais. Seu princípio de funcionamento é baseado em materiais feitos de carbono.

Já a tecnologia QLED, também com custo alto, é baseada em pontos quânticos e promete reproduzir 100% das variações de cores em todos os níveis de brilho.

A tendência, como acontece com todas as novas tecnologias, é que com o tempo os preços para o consumidor final sejam mais acessíveis.